domingo, 18 de abril de 2010

Diário de Classe

Não tive jeito ainda com o Diário de Classe. É muito complicado para mim, até porque achei que não precisaria de muitas instruções para dar conta. Claro que me enganei...
Sinto me agonizada em relação a ele. Quando ouvi que não posso rasurar entrei em uma espécie de pânico interno. Minha resposta foi fraca: Ah, é?...
Vou pedir ajuda. Quero fazer um curso rápido de "Como preencher o diário corretamente". Não aprendi a fazer isso na faculdade, nem mesmo nos estágios, então, o jeito é pedir ajuda aos universitários.
É claro que eu preferiria que já houvesse um programa para eu somente inserir os dados, mas parece que as coisas não são assim.

quinta-feira, 25 de março de 2010

Na última aula...

Ontem , na última aula do dia ocorreu um fato novo para mim e corriqueiro na rotina escolar, infelizmente. A agressão verbal e (quase) física. Não foi grave, considerando as barbaridades que acontecem, mas foi grave para mim. E muito.
Simplesmente fiquei perplexa com a situação e minha vontade foi de sair correndo para casa e me esconder no meu quarto.
Evidente a desmotivação que está querendo crescer em mim. Já não basta alguns colegas falarem que tem "dó" pela escolha que fiz. Lembre-se de que ainda não completei um mês...
Ontem, conversando com meu noivo sobre isso, aprendi que tenho que ter um equilíbrio acima do que costumo ter para minha saúde física e mental não ser comprometida.
Não sei que atitude devo ter. Não sei. Não sei.

Natta.

terça-feira, 16 de março de 2010

A dieta das aulas

Há pouco mais de uma semana iniciei as aulas.
É um sufoco sem tamanho! Sério! Não imaginava tudo isso.
Não tive experiência anterior então esta é a minha experiência.
Em primeiro lugar, as coisas que eu sei parece que couberam em apenas um dia de trabalho, portanto, tudo o que vem acontecendo depois disso é novidade: a relação com os professores, alunos, diretor, coordenador, supervisor...
Emagreci quase dois quilos! Não sou gorda e por esse motivo fico preocupada pois um quilo que seja a menos faz muita diferença.
Minha cabeça está a mil. Todos os dias tenho que me concentrar e reaprender que vai ser diferente, terei situações novas até que tudo se transforme em rotina.

Será que terei rotina?

domingo, 28 de fevereiro de 2010

Crepúsculo

Acabo de ler o livro.Então, como posso dizer sem parecer uma adolescente histérica?
Bom, bom.
Não sou mais uma uma adolescente e então devo agradecer por isso, pois seria mais uma das apaixonadas pelo Edward Cullen. Sim, a autora, faro fino feminino, soube idealizar a fantasia muito bem. Agora, sinceramente, tento analisar a trama, personagens...Cada vez mais prática.

Faz tempo que não torço tanto para um romance dar certo. Acho que é porque, ultimamente, tenho visto novelas em que admiro as vilãs. As mocinhas são muito bobas. Sem personalidade, não lutam, não brigam, não se declaram. Esperam, somente.

A Bella é uma mocinha e tanto. Geniosa, apaixonada, um tanto deprê, é verdade, mas quem não é um tanto deprê na adolescência? Em nenhum momento hesitou ao definir o que que sente por Edward. Sem divagações. As questões eram outras...

Edward não é a perfeição humana porque não é humano. É a perfeição entre os vampiros. Tem tudo nele: o cavalheirismo de épocas passadas, a inteligência, a força do olhar, a voz, o corpo e, sobretudo, o amor incondicional e irrestrito, capaz de mover o mundo por uma...humana.

Agora, alguns toques clássicos: amor proibido, logicamente impossível. A maioria dos adolescentes pode não sacar isso, mas o Romantismo está a todo vapor! Gosto disso. Prova que continuamos gostando de histórias universais, temos queda pelo universo fantástico.

Um pequeno escapismo da realidade por meio da leitura pode fazer muito bem.

Natta.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Ser professor é...

Há uma coisa que chama a minha atenção neste momento em que vou iniciar a carreira como professora: algumas pessoas para as quais contei a novidade meio que "torceram o nariz" por conta da "fama" da profissão. Comentários do tipo: "é isso mesmo que você quer?" ou "Ih, coitada!..." foram algumas das coisas que ouvi.

Não sou nenhuma boba a ponto de achar que o ofício será uma deliciosa rotina, mas com um incentivo desses a coisa só tende a piorar, não é mesmo?

Será que as pessoas não percebem que um país, independente da sua situação econômica, só pode realmente crescer com uma boa educação? Pelo que ouvi, acho que não.

Natta.

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Enquanto isso...

Já dei entrada na papelada.
Já sei qual escola vou dar aulas.
Despedi-me do pessoal do serviço hoje.
Assumo o cargo no dia 22 de fevereiro de 2010.
Uau!

Tudo tão novo. Tanta novidade.
Meu objetivo é fazer uma coisa após outra. Nada de atropelar pensamentos, imaginar coisas, não, eu não quero isso. A única coisa que quero é curtir cada segundo da minha nova situação profissional. Não quero saber antecipadamente de nada.

A não ser que queiram me contar...

Natta.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

Novo emprego

Vou mudar de emprego.
Ainda não sei o que estou sentindo direito. Engraçado: esperava (mais de um ano!) ansiosamente ser chamada para o cargo e agora estou meio aérea, sem saber até o que falar a respeito.
Feliz, sem dúvida. Mas emprego novo é emprego novo então tenho a minha insegurança também.

Vou dar aulas de Língua Portuguesa.

E agora, José?

Natta.